Parto Natural ou Cesárea

Vou compartilhar com vocês uma conversa e informações, que acredito serão úteis para uma grande parte dos nossos leitores e alunos, que irão ajudar a esclarecer diversos aspectos nesse quadro que será apresentado.

Ontem, conversando com uma amiga, a Mãe D., conversávamos sobre um assunto que nunca tinha imaginado. Ela me contou sua experiência e situação pela qual recebeu novos ensinamentos da hierarquia espiritual da Umbanda. A questão estava ligada ao nascimento dos bebês dos filhos de santo, que originalmente tinham marcado parto normal, mas no decorrer do processo por diversos motivos da parte “humana”, essas mulheres acabaram realizando o processo artificial da cesárea.


Nos casos que ela relatou, ocorreu uma situação interessante e perturbadora, quando essas crianças não paravam de chorar, não era fome ou dor, mas um choro de incômodo que não apresentava causa real que pudesse gerar esse quadro. Seguindo a orientação dos Orixás, a Mãe D. fez o banho de amaci e os procedimentos de reacoplamento dos corpos sutis e reunião do “ajunto dos Orixás” dessas crianças, voltando à condição normal de um bebê saudável.

Então, vamos ao entendimento dessa questão, pelo que foi explicado pelos Orixás e o que me foi exposto na noite passada. Quando uma criança vai nascer, existe todo um conjunto de procedimentos e ajustes que precisam ser realizados na questão genética. A Alma que irá encarnar, precisa ser ajustada ao padrão genético hereditário dos pais de forma a ocorrer o desenvolvimento do novo organismo com as suas características genéticas mescladas, que vão gerar todas as novas matrizes de informações, contidas no genoma dos progenitores. Dessa forma os corpos sutis têm que ser formatados levando esta informação como base, para que a Alma possa se adaptar a este novo corpo em formação, e dessa forma realize a clonagem das informações para gerar o Corpo Astral inferior que estará junto com o perispírito acoplado ao corpo dessa criança.
Além desta questão que é bem mais complicada no contexto dessa transferência de informações genéticas e hereditárias que levam em conta o histórico entre Alma e progenitores, no que diz respeito ao conceito humano de carma e darma, existem os contratos de vidas passadas e os contratos de aprisionamento e hologramas inseridos neste contexto, que têm correlação com as escolhas e experiências realizadas pelo conjunto de seres que são a linha espiritual que vai apadrinhar essa nova criança. Então temos aqui um fator importante que não é levado em consideração, que é justamente a equipe espiritual que cada criança vai receber para fazer parte de sua nova equipe de Orixás e amparadores durante este novo processo encarnacional, que por sua vez está ligado aos contratos de vidas passadas e à correlação entre esta Alma que vai encarnar, com o histórico encarnacional e contratos dos progenitores.

Quando esta criança é programada para encarnar, o conjunto de entidades que representam as coligações com o plano espiritual e também ajudam no processo de ajuste e complementação dos corpos sutis, que também vão se constituir com material genético que foi adquirido da estrutura nuclear dos genes dos progenitores, recebem também estrutura genica do conjunto de amparadores. Sim senhores, a fecundação não ocorre apenas pelo genoma físico dos progenitores, parte dos corpos sutis recebe material genético do conjunto de entidades espirituais que irão fazer parte do círculo de entidades de proteção do “ORI” e do grupo de entidades que aceitaram o contrato de evoluir em conjunto com essa Alma. Assim, dessa forma existe uma programação estabelecida para que dentro daqueles 9 meses de gestação, ocorram os ajustes e as trocas necessárias de material genético e espiritual, que vão ajudar na confecção de todos os corpos sutis e do acoplamento estrutural entre o plano físico e as demais dimensões do plano astral da Terra em relação a linha temporal na qual essa Alma encarnada e a Alma das entidades acopladas no histórico da Terra. Ou seja, todas essas Almas possuem um histórico existencial na Terra, seja ele no plano físico 3D ou nas outras dimensões que existem além da fisicalidade, no que designamos como plano Astral. Assim, o histórico encarnacional ou existencial desse conjunto de Alma, está correlacionado com os contratos e experiências que foram vivenciadas no decorrer do tempo na Terra. Este é um dos fatores que vai determinar o novo conjunto de entidades amparadoras, que são acopladas a uma Alma que vai iniciar um novo ciclo encarnacional na matéria 3D, justamente para tentar realizar o fechamento do ciclo de experiências dentro do contexto cármico e dármico da dualidade e dos respectivos resgates e do amadurecimento que esse conjunto de Almas estará realizando nesta nova etapa.

Assim, esses ajustes requerem na verdade, uma programação e um planejamento temporal que deve ser cumprido, para que se possa realizar todos os ajustes e os respectivos acoplamentos, entre o plano espiritual e físico, ajustando dessa forma o material genético entre o corpo físico e os corpos sutis, para que a malha energética e o cordão prateado/dourado dessa criança, contenha o material genético de seus amparadores, para dessa forma ocorrer o parto de uma forma correta, gerando no processo do nascimento os ajustes de unificação entre a coroa “cabeça” da criança com o material espiritual das Almas de Orixás que escolheram essa criança como seu novo protegido no contexto evolutivo.
Então, o momento do parto normal é o ápice quando ocorre a junção definitiva do acoplamento dos fios desse cordão prateado/dourado que cada ser possui. Pelo processo do parto normal, quando a criança passa pelo canal vaginal onde existe a contração e todo o contexto do sofrimento de ambas as partes, criança e mãe, ocorre a formatação do túnel de luz entre o caminho da placenta dentro da barriga da mãe até a saída para a realidade terrestre externa. Nesse momento o túnel de luz que se formata possui o efeito de junção e entrelaçamento desse fio prateado/dourado, onde se acopla o material genético da equipe de entidades que aceitaram o novo contrato de dar sustentação na vida dessa criança até o seu desencarne.

Quando ocorre o parto através do mecanismo da cesariana, ocorre justamente a interrupção desse processo no cordão de prata e dourado, gerando uma situação onde os respectivos acoplamentos entre a “coroa” dessa criança com as suas entidades não é completado, ficando portanto um corpo perfeito sem os respectivos acoplamentos astrais no seu “ODU”, que representa no contexto dos Orixás da Umbanda e Candomblé, o “destino” dessa criança. Esses guias que são acoplados no contrato encarnacional, têm correlação com o “ODU” que representa o destino cármico ou dármico que veio a ser realizado no contexto encarnacional, dentro das escolhas e situações a serem vivenciadas pela Alma na Terra.
Então, quando temos o processo da cesariana, o “ODU” não é completado na coroa da cabeça da criança, gerando nos primeiros meses de vida um desequilíbrio que no comportamento da criança é choro, dores, mal estar. Na verdade os pais nunca entendem o que está ocorrendo, pois não há como decodificar esse choro ou incômodo dessa criança, pois não existe uma causa física clínica. Este assunto realmente é novo para min, nunca tinha me deparado com ele, e acredito que para muitas pessoas também o seja, portanto com estas novas informações que foram prestados pelos amados Orixás do plano espiritual e também pela conversa com a Mãe Décia, podemos ajudar muitas crianças que estejam apresentando este quadro. Me foi dito também que crianças com este quadro sofrem potencialmente o perigo de serem abduzidas pelos Greys e Reptilianos, para aproveitar que o grupo de entidades, ainda não conseguiu se reunir no seu ODU e realizam a implantação dos Chips de controle e monitoramento, para que no futuro essa criança, já na idade dos 12 á 18 anos seja manipulada para os interesses desses seres, normalmente no caso de projetos para intrantes.

Então, a solução é que se por diversas situações o casal mude de ideia e tenha que optar por uma cesariana, que seja realizado um trabalho de meditação ou de ritual dos orixás, para acelerar os ajustes da coroa da criança e gerar um campo de merkabas de proteção no dia marcado e no hospital onde ocorrerá o parto por cesárea desta criança, minimizando os problemas e situações que venham porventura interferir no processo natural. Este trabalho tem que ser realizado focando no acoplamento das entidades e no ajuste genético entre o material nuclear do genoma das entidades, com a coroa e ODU dessa nova criança, criando dessa forma a proteção e potencializando o destino que essa Alma veio realizar nesta nova proposta encarnacional na Terra, além de evitar uma possível aproximação dos Greys e outras entidades do baixo astral, que utilizam meios escusos para manipular e escravizar a humanidade.

Acredito que após lerem este artigo, muitos terão enormes dúvidas, ainda mais para aqueles que nasceram de cesariana e que tiveram dificuldades na infância. Pelo que me foi explicado, após o nascimento de cesariana, as entidades precisam de mais tempo para poderem realizar o fechamento do padrão energético em relação a coroa da criança, ou seja, de seu ODU. Esse tempo pode varias de 3 até 7 meses após o nascimento, devido aos agentes externos que interferem, como alimentação, televisão, quadro obsessor dos pais e do restante da família. Um dos maiores erros que podem ser cometidos durante os primeiros 4 meses de vida de uma criança é justamente ficar mostrando para todas as pessoas da família e parentes distantes, amigos etc., levar a criança para passear em centros comerciais e todo tipo de poluição astral externa, onde essas crianças não estão protegidas, pois suas equipes espirituais não estão totalmente acopladas.
Dessa forma, caso essa criança seja levada para esse tipo de realidade após uma cesariana, ela estará aberta a todo tipo de contaminação astral e quadro obsessor externo, pois não possui as devidas proteções e seu sistema imunológico é frágil, justamente, pelo fator que o sistema imunológico de uma criança tem correlação com a linha de EXU-Caboclo, que sustenta a base energética na realidade terrestre. Esta situação poderá portanto gerar crianças complicadas, inseguras, com diferentes síndromes, irritabilidade, mediunidade descontrolada, atrito com seus progenitores e efeitos de vampirização pelo quadro obsessor adquirido ao longo de sua jornada na infância. Outro fator que será marcante nessas crianças é a dependência pelos dispositivos eletrônicos, como jogos de vídeo game, guerra, violência e outros da atualidade, justamente, pelo fato que a falta de seus amparadores desde a nascença afastaram essa criança das esferas astrais, como Nosso Lar, Aruanda, Faculdades de Ramathis, que é onde naturalmente essas crianças deveriam passar seus 7 primeiros anos estudando e sendo preparadas para o cumprimento de sua missão e “ODU” na Terra na nova encarnação. Quando esse ciclo é quebrado, a vida dessa criança que irá se tornar um adulto é bem mais complicada e difícil, pois ao longo de sua vida, virá a cobrança de suas entidades, para fazer o santo, fazer a sua iniciação no plano espiritual, para resgatar o que foi perdido ao longo desse período.

Realmente esta noite recebi muitas informações que eu nunca tinha tido, sobre o processo de acoplamento entre as almas e o seu ODU. Com base nestas novas informações, e avaliando a situação atual da nossa sociedade, podemos então entender um pouco mais o quadro social e espiritual que encontramos nas pessoas. Agora, a que escolha de realizar uma cesariana ou parto natural, deve ser levando em consideração a vida que essas crianças vão ter pela frente e como isso irá afetar os pais ao longo de sua vida terrestre. Acredito que quando o casal realizar de forma consciente este trabalho espiritual ou mesmo que seja um merkaba, para ajustar o acoplamento do ODU dessa futura criança, ocorrerá uma sobreposição de energias sobre o feto, que deve suprir parte dos ajustes que naturalmente ocorrem no parto natural.
Me foi explicado também que quando uma criança nasce de cesariana, pode ser implantado nesses 3 primeiros meses de vida, um implante que só irá se manifestar depois dos 21 anos, quando ocorrerá o acoplamento de um intrante, que normalmente são os Greys e Reptilianos, o que eu confirmo, devido a minha experiência em atendimentos e terapias a mais de 20 anos, contando com milhares de atendimentos e remoção de implantes. De fato muitos dos implantes que eu já removi dos pacientes foram inoculados quando eram crianças, agora passando a entender o processo e o porquê. Acredito que este artigo represente para muitas pessoas o equivalente a uma bomba e para outros apenas fator de preocupação, o importante que com estas novas informações, podemos contornar a situação e gerar procedimentos de proteção e cuidados para com os nossos filhos na medida que os progenitores aceitem realizar os procedimentos de ajuda e harmonização que podem ser realizados.

MERKABAS DO ODU

Criar uma mandala circular de 3 círculos – um dentro do outro – “símbolo de Micah”, onde a mãe gestante deverá ficar.
Ancorar MÃE MARIA, IEMANJÁ, NANÃ, SANTA ESMERALDA, LADY MERCEDEZ, MIRIAN, SAINT GERMAIN, ARUANDA E PRETOS VELHOS, MÃE MARIA DO CONGAR, ARCANJO RAFAEL, ARCANJO SAMUEL, ARCANJO MIGUEL, ARCANJO GABRIEL, LORD HARMONIA, MAYTREIA, WIVAMUS, OMOLU, OBALUAIÉ, PENA BRANCA, UBIRATÃ, CABOCLO GIRA SOL, OXALÁ, ORUMILÁ, OBATALÁ, KAY WAN, HILARION, DASCALOS, RAMATIS, ASTREIA, SANANDA, KUTUMI, CLARA, KUANIN, LOHAN.
Criar uma coluna de luz partindo da chama trina de todas as pessoas no entorno em relação a gestante, que ficará no centro do símbolo e sintonizar uma poderosa coluna de energia indo até o centro do nosso SOL MONMANTIA.
Chamar pelo acoplamento da ALMA da criança, junto com as equipes espirituais do seu ODU, que significa o destino correto dessa criança dentro de suas experiências na TERRA.
O importante é realizar a solicitação e ancoramento desses Mestres e de outros da vossa linhagem ou crença, para sustentar dentro desse pilar de luz dos 3 círculos de Micah, a fusão entre o material genético da criança, de sua alma e das entidades amparadoras, que fazem parte do seu código genético e espiritual, para formatarem corretamente o ODU (destino) dessa criança que irá nascer.
O segredo desta proposta de meditação ou trabalho é inserir corretamente a conclusão do cordão dourado ou prateado ainda no útero, para mesmo através de uma futura cesariana, esse ODU possa estar ajustado para a data desse nascimento artificial, criando assim as proteções que essa criança necessita para concluir a sua missão na TERRA de forma correta e digna.
O trabalho dentro desse merkaba, que para quem é iniciado na CQE e possui portanto o seu respectivo Ancoramento, poderá ser realizando dentro dessa sequência com os símbolos de proteção: YAVYTH, OM SANANDA, OM MIGUEL, OM KUANIN, METISTICA HAN, OM GABRIEL, OM MARIA, ARYEL, OM PANTHER, AMONK, SANTA ESMERALDA, ADOBNON 5, HARMONY, ARAXIS, YANKIN, OM SHO HAM, SALLAN, entre alguns que podem ser inseridos no processo de unificação da energia entre o feto e suas entidades responsáveis pelo ODU.

Sei que este tema vai gerar muitos questionamentos para as mãe que já realizaram os seus procedimentos através da cesariana, e a maior parte eu talvez não consiga responder de imediato, pois na verdade isto foi uma bomba ou abacaxi que colocaram na minha mão ontem, mas aos poucos acredito que vamos ter informações para corrigir esta questão.
Sei que alguns rituais de apadrinhamento feitos dentro da Umbanda nos rios e nas cachoeiras, ajudam na unificação do ODU, mas eu não tenho as informações dos métodos empregados pelo Umbanda, mas sei que existem, assim como no candomblé. Nesta parte acho que caberá a cada sacerdote consultar seus guias e orixás, para saber o procedimento correto para este ajuste de ODU. No nosso caso que empregamos os Merkabas e o acoplamento das entidades do Ancoramento, acredito que este tipo de trabalho na natureza, já resolva essa questão.
Dentro do conceito das técnicas empregadas na linha da Umbanda e do Candomblé, temos que entender o fundamento do processo, no qual as ervas e plantas a serem empregadas, devem representar o Ancoramento do ODU dessa futura criança ou mesmo após seu nascimento. Partindo desse fundamento, temos que avaliar que o corpo humano é composto quase de 70% de água, portanto será necessário utilizar ervas e fundamentos na linha de Iemanjá, Oxum e Nanã Buruque, pois tanto Iemanjá quanto Nanã representam a mãe TERRA, ambas são na verdade os 2 lados de uma mesma moeda. Esses fundamentos são imprescindíveis para ajustar o ODU tato no processo ainda intrauterino ou no pós parto dessa criança. Seguindo essa mesma linha de raciocínio dos fundamentos da estrutura Eólica, Mineral, Vegetal, Cristalina, Aquática, temos que ver os outros Orixás e suas respectivas ervas, para poder sustentar os ajustes requeridos, que normalmente são os Pretos Velhos que passam esse fundamento. Como a respiração é um foco importante no nascimento, temos a energia eólica, portanto EGUN e IANSÃ, seguido do processo bioquímico da respiração que gera o processo químico das trocas gasosas, que é atribuído ao fator ígneo, que é regido por Xangô e Iansã (Egunitá). Pelo fator do metabolismo do Fígado e do processo da expansão da energia, temos Oxóssi e Obá e seguindo essa linha teríamos que portanto trabalhar as 7 linhas, para realizar esse acoplamento de ODU, em uma mata, cachoeira, mar, pedreira ou outro local que seja escolhido para realizar esta proposta, que acredito acabará por ser um ajuste bem procurado mais a frente, quando as pessoas e sacerdotes ou zeladores de Orixá o entenderem e receberem as respectivas notificações dos Orixás COROADOS.

Eu ainda estou absorvendo o conceito nuclear da interposição entre o plano físico do corpo e das entidades, que estão acopladas pelas ligações entre o DNA/RNA do córtex cerebral e do coração com as entidades, que por sua vez apresentam uma ligação de linha de ancestralidade, não apenas na questão encarnacional, mas no aspecto de FRACTAIS DE ALMA, o que normalmente é chamado pelos humanos de ALMA GEMEA, que está diretamente associado as entidades do grupo de amparadores que todos os seres deveriam ter. A correlação entre o padrão de energia do espectro do genoma da Alma e de seus fractais está inserido neste contexto, ao serem acoplados no ODU de uma criança, gerando assim o efeito cascata de correlação entre os aspectos a serem vividos em realidades paralelas, entre a criança física da TERRA e das almas em paralelo em outras realidades paralelas nas outras TERRAS e no âmbito do plano astral e inclusive em outros planetas. A ligação é realizada entre o cardíaco/CHAMA TRINA e o córtex cerebral através do Chacra Coronário, que sustenta o ODU de todos os seres humanos. Portanto, me foi explicado que entre um ser humano e as suas entidades ou ORIXAS o que existe, não é apenas uma simples entidade protetora, mas uma rede de ligação entre essa ALMA e a de seus outros FRACTAIS DE ALMA, além da materialidade terrestre.

Quando estudamos os atuais conceitos da teoria QUÂNTICA, percebemos cada vez mais a questão do MULTIVERSO, termo que está sendo empregado no Brasil, para estudar a e abordar a questão dos diversos universos existentes entre a realidade física, matéria escura e energia escura, que são os atuais focos de muitos pesquisadores. Em nosso contexto da compreensão da espiritualidade, temos diversos aspectos que só podem ser explicados ou observados, quando utilizamos alguns conceitos modernos desta Teoria Quântica do MULTIVERSO, no qual estamos inseridos em um emaranhado de realidades paralelas de tempo e espaço. O destino da TERRA está relacionado com outras realidades em paralelo, portanto a atuação das nossas entidades gera este campo de interação entre o plano astral e a nossa realidade. Na medida que uma pessoa evolui e desperta a sua consciência, ela passa a entrar mais no plano das outras realidades paralelas, até que não mais se ajusta na realidade terrestre e tem que ascensionar, deixando de encarnar na TERRA. Quando uma pessoa possui o seu ODU corretamente centralizado e segue esse mesmo ODU, ela precisa de poucas encarnações para aprender e concluir o seu projeto TERRA. Já quando ela não tem esse ODU, fica à deriva nos emaranhados de hologramas da realidade TERRESTRE, mais a do UMBRAL à sua volta, criando assim um número bem maior de contratos encarnacionais, muitos além dos previstos originalmente, o que em alguns casos poderia colocar parte das entidades dessa alma no umbral, quando eles tentam os resgates e não conseguem, ficando presos, devido aos erros de conduta da pessoa na dualidade holográfica da TERRA que é mais densa.

Quanto mais avalio esta informação, mas desdobramentos me vêm e entro nos aspectos da linha de ressonância entre a nossa realidade terrestre e das outras Almas ou Fractais de Almas, que estão vivendo um processo semelhante ao nosso no Umbral ou nas outras realidades da TERRA, buscando a sua ascensão ou desligamento dos processos holográficos de aprisionamento, da mesma forma que uma parte da humanidade. As implicações disto frente aos jogos de manipulação dos XOPATZ, GREYS, REPTILIANOS, ILUMINATTIS, SGS e dos outros grupos que vampirizam a humanidade, através de seus sistemas inescrupuloso de controle.

Bom amigos, acho que pelo menos demos mais um passo para entender algumas coisas em nossa vida conturbada, agora veremos como corrigir isso gradualmente e como impedir os desajustes, para aqueles que tenham acesso a esta informação.
Um grande abraço a todos,

PAZ NO CORAÇÃO,

RODRIGO ROMO