O UNIVERSO, A ORIGEM

Para podermos iniciar a nossa jornada pelo incrível mundo da evolução nos diversos planos da existência, elaborados pela consciência SUPREMA ou DEUS, devemos antes de mais nada conhecer melhor aquilo que designamos como sendo o universo.  Universo este que é composto de matéria em diversos estados e densidades, das quais captamos somente uma estreita faixa de radiações e entre outras dentro da faixa de radiação do visível, onde catalogamos os efeitos luminosos de corpos celestes como estrelas, quasares, constelações e galáxias distantes.

Mas sabemos que não é só disso que o nosso universo é composto, pois toda a matéria captada até o presente momento representa cerca de 10% da massa total do universo. O restante pode ser parcialmente calculado, devido às interações energéticas estudadas pelas equações termodinâmicas, que cuidam diretamente dos valores de entalpia, entropia e energia livre, que simplesmente nos mostram as trocas de energia existentes entre meios materiais. Dessa maneira constatamos que não estamos sozinhos, mas que existem outros planos paralelos com os quais temos trocas energéticas de grande magnitude, que podem ser compreendidas não só no plano da astrofísica, mas como também dentro da metafísica no estudo da espiritualidade.

Todas as manifestações do universo são baseadas na inteligência, seja ela de individualidades pensantes ou de grupos coletivos, mas sempre dentro das emanações vibracionais, que regem a evolução e o movimento atômico. Lembremos que os átomos são pequenas partículas que constituem e caracterizam todas as manifestações do universo dentro dos diversos planos existenciais.  Assim, podemos definir a grosso modo, que tudo aquilo que designamos como universo, com todas as manifestações astrofísicas[1] são partes integrantes de uma consciência muito maior ainda desconhecida em sua totalidade, mas que a maioria das consciências com quem tenho travado contato, a designam como A FONTE QUE TUDO É, (DEUS).

Para podermos digerir melhor o comportamento dessa parte divina, através das palavras UNIVERSO ou GALÁXIAS, teremos que regredir muito no tempo, em épocas onde ainda se estruturavam outros planos que determinaram a disposição espacial e multidimensional de uma parte desse gigantesco corpo cósmico, que atualmente é constituído por 7 SUPERUNIVERSOS, os quais são controlados por um centro administrativo misterioso para a maioria das consciências multidimensionais de todos esses Superuniversos.

A estrutura conhecida atualmente pelas hierarquias espaciais sobre a formação dos nossos Superuniversos, ainda é remota e incongruente, por ser complexa e pouco conhecida, mesmo para as altas hierarquias. Isso se deve à grande defasagem temporal e dimensional que existe entre a origem desses universos e as primeiras manifestações inteligentes, que atualmente são os Anciões dos Dias, que trabalham diretamente com a FONTE QUE TUDO É, demonstrando que essa fonte é apenas mais uma peça desse gigantesco quebra cabeça cosmogênico no qual estamos inseridos.

A FONTE QUE TUDO É, possui várias manifestações multiexistenciais, das quais não possuímos referências diretas. Isso foge à nossa capacidade de captação, mas posso colocar da seguinte maneira: todas as manifestações, que já são gigantescas, dentro daquilo que conhecemos como os 7 Superuniversos, são apenas uma parcela da totalidade dessa consciência Suprema. Como essas manifestações não podem ser tratadas diretamente em nosso plano, haja visto que somente seres que estão habitando um plano de consciência da 12ª dimensão podem captar e processar essas informações que pertencem a seres que habitam outras dimensões acima do Universo Teta, tenho que transcodificar aquilo que me foi autorizado transcrever e que fui capaz de compreender.

Essa parcela de DEUS que se encontra manifestada dentro daquilo que designamos como o cosmos, foi criada pelo poder do pensamento direcionado dessa mega-consciência, que precisava gerar um processo evolutivo energético para evitar a estagnação de um setor importante da sua estrutura energética. Essa estrutura energética poderia ser compreendida como sendo o corpo físico de DEUS, isso somente como meio comparativo e simplista, para que possamos fazer um alcance sobre a necessidade de criar os nossos cosmos.

A energia gerada pelos 7 Superuniversos é de importância vital para o bom funcionamento de outros centros energéticos desse mega-corpo designado de DEUS. Mas era preciso que esse novo centro que comporia os nossos 7 Superuniversos fosse autossuficiente e pudesse se autogerenciar para que sempre estivesse requalificando a suas constantes energéticas dentro dos diversos planos onde eles deveriam manifestar. Sendo assim, Deus criou um centro administrativo ou um banco de dados que gerenciaria por completo todas as funções desse futuro e eterno campo evolutivo, que forneceria uma nova fonte energética para o corpo de DEUS.  Esse centro administrativo foi designado de HAVONA, que representa o nosso elo de comunicação com outra realidade daquilo que nós acreditamos ser DEUS. Esse centro não é DEUS como tem sido veiculado por outras fontes, mas sim um lugar onde estão milhões de manifestações com amplo poder de criação em todas as dimensões que conhecemos. Isso os torna DEUSES-CRIADORES, mas eles também possuem uma outra fonte acima deles. Na verdade, existe uma grande pirâmide evolutiva acima de todas as manifestações de consciência que atuam em nossos universos. Estas hierarquias supra dimensionais, que podem interagir entre estas realidades que formam aquilo que chamamos de DEUS, costumam estar dentro de HAVONA, mas também podem transpor os portais para a outra realidade que existe da FONTE QUE TUDO É. Minha tarefa é desenvolver as realidades que são pertinentes aos 7 Superuniversos, dentro dos quais o nosso que representa o sétimo Superuniverso conhecido como ORVOTON.

Como mencionei, as informações que me transmitiram sobre a estrutura e a motivação que levou à geração destes 7 Superuniversos, foi a necessidade de criar um gigantesco corpo, capaz de gerar sua independência evolutiva e que pudesse crescer dentro de uma lei que possibilitasse a todas as manifestações para que nelas se estabelecessem a possibilidade de regressar às outras realidades da  FONTE QUE TUDO É.

Para tanto, foi gerada uma série de hierarquias e consciências que teriam o trabalho de criar todas as estruturas nas diversas dimensões possíveis, para que o empreendimento fosse perfeito. Essas  hierarquias estão presentes em todos os planos dos 7 Superuniversos e possuem a memória quântica desde o dia em que foram gerados, mas não possuem a consciência de suas manifestações em outros planos além dos nossos, pois eles foram gerados a partir do poder mental dessa fonte universal, para inicialmente seguirem as ordens e orientações da FONTE QUE TUDO É, recebendo o dom do aprendizado evolutivo, para que com o tempo pudessem se individualizar e seguir suas próprias linhas evolutivas, dentro de parâmetros estabelecidos pela grande Lei.

No início à constante multidimensional não havia divisão, como atualmente compreendida, pois só existia o vácuo e um gigantesco emaranhado de energia manifestada nas mais diversas magnitudes que a nossa imaginação pode conceber. Com o passar dos milênios, quando os guardiões adquiriram a necessária evolução e compreensão das necessidades da FONTE QUE TUDO É, foi elaborado o primeiro plano de subdivisão dessa gigantesca energia e de todo o espaço multidimensional que ele ocupava. O tempo não existia como nós o catalogamos e sentimos, são conceitos físicos de corpos limitados. Estamos falando da criação dos Universos, que possuem todas as manifestações de vida conhecidas pelas hierarquias multidimensionais.

Os Universos foram separados de acordo com as suas magnitudes e densidades, determinadas pelas emanações energéticas presentes naquele período. Esses Universos ficaram estruturalmente montados pela imensidão do cosmos, ocupando além do espaço físico tridimensional como nós o catalogamos, como também uma série de outras dimensões e realidades que estão além da nossa percepção pessoal e instrumental.  No aprimoramento individual das primeiras consciências que estavam se manifestando diretamente dentro de HAVONA, foram escolhidos os primeiros DEUSES-CRIADORES que deveriam semear e gerar o ciclo evolutivo do primeiro Superuniverso, o qual possuía uma vasta área a ser criada e desenvolvida pelas manifestações que deveriam evoluir dentro do processo elaborado naquele primeiro propósito.

As bases desse propósito inicial estavam voltadas para suprir as demandas energéticas de HAVONA no intercâmbio que ela deveria manter com a FONTE QUE TUDO É, principalmente no processo inicial que se processava pela criação de uma nova realidade, que era constituída pelos 7 Superuniversos num planejamento extenso e criterioso. Embora ainda não estivesse ao alcance da compreensão dos dirigentes de HAVONA, sabiam que teria relevante importância para o outro plano oculto da FONTE QUE TUDO É.

Com o desenvolvimento das capacidades criativas das consciências que estavam a cargo da direção central de HAVONA e do 1º Superuniverso, ficou constatado que o processo criativo e evolutivo seria irreversível e que exigiria cada vez mais fontes pensantes. Nesse ponto foram reestruturadas as composições atômicas dos planos dimensionais, para permitir que a partir das partículas nucleares, se formassem os minúsculos Elementais com a capacidade de memória quântica, assim, todo o universo em seus diversos planos dimensionais possuíam essa nova forma pensante de seres, que a pedido dos Criadores poderiam gerar a individualização de novas formas de pensamento. Para ajudar nesse processo, a FONTE QUE TUDO É enviou uma energia adicional para gerar assim as primeiras MÔNADAS cósmicas, que deveriam multiplicar-se e gerar subpartículas, estas por sua vez deveriam segregar-se dentro dos universos, para gerarem novas manifestações, que em busca da lei evolutiva, poderiam atingir novos patamares dentro do planejamento original de HAVONA.

A FONTE QUE TUDE É iniciou o envio constante de um fluxo extradimensional de partículas. Estas partículas designadas AJUSTADORES DE PENSAMENTO, têm a função de manter a coesão monádica com a sua origem Divina em todos os planos de consciência conhecidos. Eles são o nosso verdadeiro elo de ligação com A FONTE QUE TUDO É.

As hierarquias superiores começaram a se formar no desenvolvimento das necessidades existentes, para manter a harmonia e garantir um fluxo constante de energia para HAVONA. Assim começou a formar-se a história dos Superuniversos. Os outros Superuniversos foram sendo habitados e desenvolvidos pelo próprio processo evolutivo e crescimento das consciências que neles habitam.

Os espaços vazios do cosmos foram semeados de luz nas mais variadas concepções que podemos registrar. Cada corpo existente dentro e fora dos planos existenciais, possuem uma consciência pensante, que busca o conhecimento e o caminho de retorno para o grande Pai-Mãe, que gerou entre outras coisas a necessidade de reagrupar todas as suas partes. Esse processo de busca eterna pelo Deus interno de cada um, é também uma constante dentro das consciências de todas as formas de vida pensantes que existem.  Os ajustadores de pensamento possuem uma estreita ligação com esse sentimento, pois eles são provenientes do outro plano além de HAVONA, o que os torna o nosso elixir da eternidade. Estas subpartículas muito menores que o núcleo do átomo, podem locomover-se a velocidades milhões de vezes superiores à da luz, e já foram registrados em aceleradores de partículas por breves instantes.

Outras partículas de importância vital na estruturação da matéria como fonte estável de energia, são os grávitons, que participam da coesão atômica em todos os planos.  Os arquétipos construtores dos Superuniversos e suas distintas dimensões, trabalharam nos mais profundos conceitos e ainda continuam a trabalhar para manter tudo em funcionamento.

Como todos os universos também seguem a lei da evolução, as mudanças entre as estruturas multidimensionais e suas diversas densidades, precisam ser monitoradas e assessoradas regularmente, assim como nosso organismo possui diversos componentes que cuidam da saúde, os universos possuem servidores que atuam nesse sentido. A maior parte deles é conhecida atualmente como sendo membros da hierarquia dos Elohins, mas estes não são os únicos a trabalhar nesse programa. Todos os Superuniversos são programados pelos arquétipos cósmicos no sentido de auto evoluírem e permitirem as outras formas de consciências existentes participar destas evoluções através de suas participações e impressões nos diversos planos de consciência.

Cada entidade individualizada ou coletiva, participa desse programa sem perder a sua identidade e individualidade, pois essa individualidade só é perdida quando um grande grupo de mentes evoluídas se fundem e formam uma consciência coletiva na forma de uma grande e poderosa Mônada. Nesse instante a nova consciência coletiva passa a ser a nova individualidade conjunta, pois as suas necessidades de evolução e aprendizagem são as mesmas. Por esse motivo existem milhares de Mônadas distintas, cada qual com as suas características a partir das diversas centelhas evolutivas que as formaram.

Quando as diretrizes e processos evolutivos estavam determinados e prontos a serem seguidos pelos novos participantes, foram inicializadas as segregações espirituais das antigas Mônadas cósmicas. Estas se dividiram e enviaram suas partículas pensantes aos diversos planos que dispunham em seus Superuniversos na ocasião. Assim começa a jornada espiritual evolutiva, que culminou na colonização e renascimento de todos os Superuniversos à medida que novas formas e ideias iam sendo geradas.

Cada Superuniverso foi semeado utilizando os conhecimentos e experiências anteriores provenientes dos mais velhos. Assim esse processo ocorreu sequencialmente. Portanto, o nosso Superuniverso de Orvoton é o mais recente dentro deste processo evolutivo.  Ele conta com a participação de bilhões de entidades espirituais que evoluíram nos diversos planos dos outros Superuniversos. As entidades que atingem a suprema evolução dentro do topo de cada Superuniverso, retornam a HAVONA e podem escolher o novo caminho a trilhar. Muitos atravessam o portal para a outra realidade da FONTE QUE TUDO É, mas muitos resolvem continuar e ajudam no desenvolvimento das novas fronteiras a serem descobertas e experienciadas nos milhares de planos existenciais que irão criar essa nova aventura de consciência que todos passamos.

Os Superuniversos são divididos em setores para facilitar a administração, pois sendo verdadeiros gigantes, a sua colonização ocorre setorialmente e sequencialmente, para gradativamente serem exploradas todas as potencialidades que eles podem oferecer para seus habitantes.

[1] Refere-se aos corpos estelares, como planetas, estrelas, galáxias e dimensões.

 

Este texto pode ser compartilhado desde que não se altere seu conteúdo e se mencione a fonte: http://www.rodrigoromo.com.br

Para adquirir livros de Rodrigo Romo acesse a LOJA VIRTUAL.