Pesquisador descobre enormes estruturas na superfície de Vênus

Texto traduzido e adaptado de: Earth. We are One.

Após a NASA ter publicado imagens que mostram a superfície de Vênus, não demorou muito para que um caçador de UFOs detectasse anomalias na superfície do planeta. Embora alguns acreditem que Vênus seja um lugar habitável, as supostas estruturas artificiais descobertas podem mudar a maneira como víamos este planeta.

O pesquisador do canal no Youtube Mundo Desconocito publicou um vídeo revelando estruturas estranhas que ele afirma serem cidades alienígenas colossais. Suas reivindicações são baseadas em uma análise aprofundada das fotos publicadas pela NASA da missão venusiana de sua sonda Magellan, que funcionou entre os anos 80 e 90, proporcionando imagens de valor inestimável da superfície.

Para destacar as supostas formações de natureza artificial, ele criou modelos em 3D para melhorar a experiência visual e para que os internautas percebam que elas não são vulcões, nem crateras de impacto deixadas por asteroides.

“A sonda Magellan, que operava no final dos anos 80 e 90, recolheu uma enorme quantidade de imagens que foram finalmente publicadas pela NASA onde grandes cidades, estruturas artificiais e todos os tipos de elementos que parecem assemelhar-se a construções … por algum tipo de raça alienígena que habitava ou colonizou Vênus. No vídeo a seguir, mostramos os edifícios que identificamos e sua interpretação em três dimensões.”

Estas estruturas poderiam ser artificiais, afinal, ou há uma explicação mais racional para todas essas formações? Para entender se ele está correto, vamos analisar mais atentamente este planeta.

Vênus é o segundo planeta do sistema solar e é semelhante em estrutura e tamanho à Terra, e sua atmosfera densa encapsula o calor causando um efeito estufa descontrolado. A camada permanente de nuvens é o que mantém o calor, resultando em temperaturas na superfície de 900 graus Fahrenheit (480 Celsius), quente o suficiente para derreter chumbo, tornando o planeta o mais quente do Sistema Solar.

vulcões em vênus

Vulcões em vênus

A superfície venusiana é composta principalmente de vulcões e montanhas, com a altura média de 11 quilômetros, acima da elevação do planeta. Ele tem uma rotação retrógrada, girando para trás quando comparado com os outros planetas, o que significa que o Sol nasce no Oeste e se põe no Leste.

Curiosamente, devido à sua rotação lenta, um ciclo dia-noite em Vênus equivale a 117 dias passados na Terra, fazendo um dia em Vênus durar mais de um ano inteiro. Ele leva 225 dias terrestres para completar uma órbita completa em torno do Sol. Neste ponto, pode até parecer que não existem chances de Vênus hospedar vida alienígena, mas há muito mais do que podemos ver a olho nu.

A Venus Express enviada pela Agência Espacial Europeia estudou Vênus de 2006 até o final de 2014, quando ficou sem combustível. Nesse ponto, a sonda desceu em direção ao Polo Norte do planeta onde ela encontrou uma temperatura média de -157 graus Celsius (-250 Fahrenheit), que é mais frio do que em qualquer lugar na Terra. Estas observações recentes revelam que a atmosfera do planeta é muito mais intrigante do que se imaginava.

Cerca de 80% da superfície venusiana é coberta por planícies suaves e vulcões, mas a ausência de evidências de fluxos de lava permanece um enigma. Outros estudos sugeriram que há bilhões de anos a atmosfera de Vênus era muito mais parecida com a da Terra e havia quantidades substanciais de água líquida na superfície.

Não existem dúvidas de que as condições na superfície são extremamente hostis para a vida, mas há especulações sobre a possibilidade de formas de vida existentes em algum lugar nas camadas de nuvens superiores de Vênus, 31 milhas (51 quilômetros) acima da superfície, onde a temperatura varia entre 30 e 80 graus Celsius.

Então, as teorias de Mundo Desconocito poderiam ser viáveis, afinal? Existiriam, de fato estruturas artificiais na superfície de Vênus?

Considerando as novas descobertas da sonda Express da ESA, onde existem temperaturas congelantes em um planeta infernal como Vênus, existem certamente outros aspectos surpreendentes a serem descobertos. O planeta tem uma abundância de elementos estranhos que ultrapassam a nossa compreensão neste momento, o que significa que ainda há muito a aprender sobre este mundo rochoso, encapsulado em nuvens, que é Venus.

Há uma pequena chance dessas estruturas serem de natureza artificial e a NASA não iria revelar nunca uma cidade alienígena inteira tão perto da Terra, se fosse verdade. No entanto, há ainda muito espaço para a especulação, então é melhor filtrar as informações e formar suas próprias opiniões. A verdade está em algum lugar lá fora.

O mapa de Vênus utilizado pelos pesquisadores pode ser encontrado AQUI.

Se você se interessa pelo assunto, pode pesquisar sobre o Programa Venera (em russo: Венера), que foi uma série de sondas espaciais desenvolvidas pelo programa espacial soviético, para a coleta de informações do planeta Vênus. Eram lançadas em pares, com uma segunda sonda sendo lançada uma ou duas semanas após o lançamento da primeira. Os desenhos e os equipamentos carregados pelas sondas da série variaram ao longo dos anos, sendo gradualmente aperfeiçoados para resistir às extremas condições da atmosfera e da superfície do planeta Vênus.

O Programa Venera se estendeu de 1961 até 1983. Existe um novo projeto russo, chamado Venera-D, que pretende explorar o planeta por radar e também localizar lugares para próximos pousos sobre a superfície. O projeto tem seu lançamento previsto para 2016.

Abaixo, mapa de Vênus divulgado pelo programa espacial russo Venera:

Clique na imagem para ter acesso à imagem em alta resolução. Créditos: http://venera-d.cosmos.ru/index.php?id=1890&L=2

Clique na imagem para ter acesso à imagem em alta resolução. Créditos: http://venera-d.cosmos.ru/index.php?id=1890&L=2

 

 

 

Fontes: http://www.ewao.com/a/ufo-researcher-discovers-huge-structures-surface-venus/

http://venera-d.cosmos.ru/index.php?id=658&L=2