O Contexto Encarnacional

CAPÍTULO DO LIVRO YABERIN – O MAGO CÓSMICO (páginas 119 a 127)

Quando um desdobramento da Mônada ou mesmo da Supra Mônada entra no processo de individualização, ocorre um processo similar ao do ciclo encarnacional humano, dentro do que se entende por estar acoplado a um corpo biológico mais denso do que sua própria Alma e Espírito. Assim sendo, o que na verdade existe é um deslocamento dimensional dentro da proposta do multiverso, onde um fluxo de energia de 60D por exemplo migra para um novo patamar de 40D, onde este é mais denso e compactado que o anterior, exigindo, portanto, que essa energia passe por um processo de adaptação para o novo modelo que terá que aprender a conhecer e interagir. Novos desafios e novas percepções vão existir nessa frequência mais densa, onde tudo é novo e novas associações químicas, atômicas e vibracionais vão ter que ser realizadas para poder manter a consciência dentro dessa nova frequência dimensional.

Usando esse mesmo parâmetro na questão da Matéria Bariônica que se estabiliza abaixo de 9D, a Alma e suas energias são inseridas dentro de estruturas mais densas e estatizadas pela limitação energética que a matéria Bariônica possui em relação aos outros patamares mais elevados de energia. Com isso, a percepção da Alma caiu em mais de 65% de sua captação original além de 9D, uma vez que além dessa frequência a Alma está dentro da estrutura da percepção do próprio Eu Sou.

Quando a Alma se desprende da consciência do Eu Sou que a sustenta, a percepção do universo muda por completo, pois a frequência do multiverso que é acessível pela consciência do Eu Sou fica prejudicada em aproximadamente 65% quando a Alma entra na linha encarnacional de raças mais primitivas ou com maior carga de dualidade. Por esse motivo
os 144 Mestres Entrantes como Yaberin não passaram pelo processo encarnacional convencional, para poderem estabelecer uma conexão direta com os membros da Supra Confederação que são todos da linhagem do Eu Sou para além dessa frequência. Em outras palavras, a maior parte das Almas emanadas pelo infinito conjunto de Eu Sou inseridos no experimento de Nebadon acabaram perdendo a conexão com o propósito original e acabaram ajudando a cocriar a dualidade sem perceber. E assim foram manipuladas pelos grupos de poder dissidentes de Sarathen.

Quando Micah recebeu o universo local de Nebadon como quintal de manobras, esse mesmo local foi dividido por milhões de outros Filhos Paradisíacos. Alguns com a mesma afinidade e interesses de Micah e outros, opositores, como é o caso do grupo ao qual pertence Sarathen. Agora entendam que a expressão “opositores” não significa inimigos de Micah, mas com uma visão e proposta diferente que entra em choque com a proposta da harmonia e amor que Micah inseriu na codificação de seus filhos e Mônadas contratadas. Sim, amigos, Micah contratou milhões de Mônadas para desenvolver o experimento, para fazerem o jogo junto com Sarathen e outros Filhos paradisíacos na busca da avaliação do desdobramento dessa nova proposta de evolução e desenvolvimento dentro dos locais e clusters de Nebadon, realizando agrupamentos em conformidade com esses projetos. Quando este jogo de xadrez cósmico foi iniciado, a maior parte dos Eu Sou nunca tinha tido a experiência encarnacional dentro dos universos de Matéria Bariônica de Havona-Shantar. Ou seja, dentro dos 7 Superuniversos em estado de materialização e desaceleração atômica, como ensina a física clássica que originou a matéria Bariônica. Assim, os experimentos encarnacionais eram todos em outras gamas do universo, muito além do patamar físico que vocês entendem como 3D até 9D, o que gerou uma condição de extrema expectativa por parte desse conjunto descomunal de Almas que seriam formatadas para brincar no fluxo da vida e dos ciclos encarnacionais conforme o propósito de cada raça e matriz genética.

Pela linha temporal da humanidade fica difícil definir esse início, pois os cientistas limitam o tempo do universo material em apenas míseros 13 a 15 bilhões de anos, quando na verdade é muito mais do que isso. Portanto, se atribuirmos um valor aqui, ele será um valor limitante, porque a ciência humana atribui uma idade errônea ao universo. O erro se baseia na leitura falha da radiação de fundo emanada pelas membranas Brana desde uma parte do Big Bang e outras distorções gravitacionais que o conjunto de Orvotón sofreu nesse momento, o que não se aplica a todos os 7 Superuniversos. O conjunto de Mônadas e seus Eu Sou escolhidos por Micah e pelos outros filhos paradisíacos, já tinha tido suas respectivas experiências encarnacionais entre 7D e 14D nos outros 6 Superuniversos, mas nunca tinham chegado abaixo dessa proposta dimensional, até porque o projeto não estava totalmente estável e não existiam estruturas de aminoácidos e estrutura biológica para gerar vida abaixo de 7D. Assim sendo, o experimento de baixar até o denominado plano do 3D, 4D, 5D e 6D era uma novidade. O que explica o motivo da expectativa que todos envolvidos no projeto Nebadon nutriam e por esse mesmo motivo a sua órbita foi colocada fora do campo de abrangência eletromagnética de Orvotón, para dar maior liberdade e explorar maiores aspectos da dualidade e do desdobramento da capacidade Cocriacional de cada Alma inserida neste contexto.

A transmissão entre o Reino Dévico universal que é sustentado pela grade de radiações da escala dos Táquions e suas divisões em outras partículas próximas do Táquion, representam o que vocês humanos entendem como o Reino Dévico ou Orixá Primordial do universo. Para captar essa energia, as formas biológicas mais antigas e primitivas tinham uma conexão direta e profunda com essa esfera. No entanto, à medida que essas formas de vida foram evoluindo e se desenvolvendo mental e intelectualmente, substituindo gradualmente o fator intuitivo que gera a conexão com as outras dimensões e o plano Dévico, essas formas de vida acabaram se afastando e perdendo essa conexão, tendo que criar uma nova linha evolutiva baseada no que a sua consciência era capaz de cocriar, que foi justamente o desenvolvimento tecnológico além do poder do próprio espírito interno.

Foi dentro desta fase de acontecimentos que Yaberin foi introduzido no processo existencial de muitos de vocês que estão lendo este livro, pois era necessário alinhá-los com sua reconexão, empregando a ciência e tecnologia a favor de vocês e não contra. Mas para isso era preciso resgatar as antigas escolas e ensinamentos do Reino Dévico e de outras dimensões e realidades, para gerar a unificação das diferentes facções e propostas através da harmonização, quebrando dogmas e paradigmas com os quais vocês se comprometeram, que aprisionaram e isolaram vocês. Então, meus alunos, um dos caminhos de sustentação dessa comunicação entre a estrutura “primordial do Universo” é o denominado plano do Reino Dévico e o entendimento da ligação dos reinos da natureza com seus respectivos elementos: água, terra, ar, fogo, éter e as outras formas que perfazem 12 elementos chaves para se entender essa linguagem que foi perdida e que os 144 Mestres Entrantes tinham que restabelecer através de escolas místicas onde esse conhecimento era transmitido a seus alunos.

Então, a formação da Ordem Santa Esmeralda, assim como muitas outras que surgiram na sua disseminação pelo universo, não têm por objetivo ensinar bruxaria no contexto tradicional como as pessoas acreditam, mas o entendimento verdadeiro da linguagem cósmica entre a Energia Escura e seus respectivos desdobramentos através dos átomos e sua estrutura nos reinos da natureza, do universo e suas hierarquias internas.

Essa estrutura pode ser classificada da seguinte forma dentro do entendimento da humanidade na Terra, adaptada a outros mundos:

  1. – Terra, solo, seus componentes e devas.
  2. – Rochas, cristais, seus componentes e devas.
  3. – Água, seus componentes e devas.
  4. – Ar, atmosfera de gases, seus componentes e devas.
  5. – Gases Nobres, suas reações nas chaves do multiverso e seus Devas.
  6. – Fogo, sua estrutura com seus devas.
  7. – Luz e radiações com sua estrutura e devas.
  8. – Interação Nuclear fraca e forte dos léptons e quarks e seus devas.
  9. – Gravitação nuclear e multiverso e seus devas.
  10. – Energia Escura e seus devas.
  11. – Matéria Escura e atomística com seus devas.
  12. – Matéria Bariônica e seu campo atômico com seus devas.

Esta é uma forma aproximada do estudo que um Mago deve percorrer entre a questão mística e o conhecimento de física, química, matemática e das relações entre todos esses 12 princípios, para poder entender e adentrar na tecnologia da Alma ou do Espírito. Tudo muda quando se entende a correlação entre esses princípios e o conceito de “Deva”, pois na verdade esse ser ou entidade é um código de acesso a um outro plano dimensional através de chaves matemáticas e não de entidades como normalmente as pessoas entendem.

A chave para esse acesso é a energia do AMOR = HARMONIA, que tem sido expressada de forma incorreta pelas escolas místicas para a humanidade da Terra e de outras moradas, justamente para isolar o conhecimento e manter as Almas aprisionadas dentro das respectivas Matrizes de Controle das diferentes Federações e grupos de “Poder” através dos rótulos políticos mascarados como Federações, Aliança Galáctica e outras nomenclaturas que os canalizadores transmitem para vocês.

Portanto, a comunicação com esses respectivos devas passa pela frequência interna que os alunos aprendem a emitir desde a sua Chama Trina e o padrão de consciência que vão absorvendo à medida que evoluem nessas aulas e na compreensão do processo de conexão com essas novas informações. O Universo é informação em diferentes frequências de calibragem. Assim, quando um aluno das escolas místicas do universo entende essa linguagem cósmica, ele passa a se comunicar com todos os planos do universo através da própria radiação taquiônica que sua Chama Trina emite naturalmente e recebe do universo nas diferentes fases dimensionais do Multiverso. O estado de espírito e de consciência que o aluno possui e trabalha é o parâmetro de conexão, determinando qual nível ele irá atingir dentro da expansão de seus sentidos externos através da conexão dos seus outros “corpos” extrafísicos, como ocorre com os 32, 72, 144 e finalmente 3.600 frequências desde Havona-Shantar como o foco direto da Fonte Primordial que está codificada pela frequência de Táquions de cada Alma no universo, pois essa codificação foi inserida já na Supra Mônada.

Assim, a qualidade de vida e o padrão de energia que cada Alma manifesta dentro das diferentes matrizes de controle ou dos hologramas que estão vivendo, acabam criando um movimento positivo ou negativo na comunicação entre o plano da sua fisicalidade relativa com o plano espiritual da Fonte Primordial. Por esse motivo, realizar o contato com a “Fonte” é uma condição que está relacionada à qualidade de transmissão que cada Alma possui dentro de seus códigos internos do corpo físico em relação à sua percepção sensorial e mediúnica em cada fase das encarnações que manifesta.

Partindo do princípio que, quanto maior o número de encarnações dentro dos hologramas da dualidade, a percepção da Alma se afasta de seu equilíbrio e perde gradativamente a conexão primordial que possui em sua própria Chama Trina, as escolas têm por objetivo resgatar essa comunicação através de ensinamentos e técnicas de equilíbrio.

Os 144 Mestres Entrantes iniciaram então uma trajetória de estudos e vivências para espalhar gradualmente este conceito entre as principais federações e grupos que estavam desenvolvendo sua trajetória evolutiva pela tecnologia estelar, atomística e estudo das leis da física e química com a respectiva interação nuclear do multiverso. Neste contexto a maior parte de vocês acabou conhecendo Yaberin e outros professores e magos dessas importantes escolas herméticas de reconexão.

A função real de Yaberin era passar pelos processos encarnacionais, mas utilizando um corpo e estrutura que não perdesse a conexão como ocorreu com vocês e dessa forma, apesar dele entrar como entrante na maior parte dos processos iniciais do acoplamento na Matéria Bariônica física, começou a perceber o peso e a dificuldade da dualidade inserida arbitrariamente nos sistemas estelares internos do grupo de Naoshi. E antes disso em outros clusters do Universo local de Nebadon, que possui muitos outros setores com elevado gradiente de dualidade, sendo Naoshi o mais complexo de todos.

Imagem captada por Cláudio Gianfardoni da energia de Yaberin. Adquira o livro Yaberin o Mago Cósmico na Loja Virtual

Assim Yaberin era um testa-de-ferro da Supra Confederação que serviria para avaliar muitos aspectos até então hipotéticos perante os grupos além de 9D e estabelecer parâmetros e projetos com base nessas descobertas. Esses projetos tinham o objetivo de despertar a consciência de bilhões de Almas perdidas dentro do jogo da dualidade e dos
hologramas alimentados pelas próprias Almas através de seus dogmas, conceitos filosóficos e religiosos, da própria evolução e do entendimento imediatista que cada Alma tem do universo através de seus sentimentos e sua percepção, de acordo com cada raça e sua escala de evolução cósmica. Avaliar o processo encarnacional e as questões que causam a contaminação, era a função inicial dos 144 Mestres Entrantes para depois desse levantamento realizarem projetos e metas para reverter este processo e iniciar o despertar das Almas de seus próprios hologramas de aprisionamento que as afastam de sua essência maior do Eu Sou. E principalmente, promover a conexão direta com a sua própria Fonte, sem intermediários, através da frequência primordial da Chama Trina.

A questão aqui é que a maior parte de vocês, ao deixar a estrutura energética e a frequência do seu Eu Sou, deixou a conexão segura com a própria Fonte através da Mônada e outros patamares de energia do multiverso de onde todos vocês são originários. Ou quase todos, se excluirmos desta questão os seres que foram clonados ao longo de sua caminhada existencial dentro das sociedades mais conturbadas, como as da galáxia de Arconis e posteriormente as raças reptilianas mais primitivas que estavam sob a jurisprudência direta dos Logos Cósmicos de Sarathen e suas falanges de seres com alta dualidade e contrários ao foco de Micah e suas equipes. Dessa forma, o processo encarnacional quando se distanciou do padrão vibracional original do Eu Sou passou por mudanças e um forte rebaixamento vibracional, criando gradualmente os obstáculos para a captação da essência da Chama Trina de cada Alma perdida no jogo da Cocriação dentro do multiverso abaixo de 9D. Restaurar essa conexão com a sua própria “Fonte” é não é uma situação fácil quando se vive encarnado dentro de planetas em quarentena com uma ampla Barreira de Frequência como é a questão da Terra e de muitos outros planetas dentro do conjunto de Naoshi. Nos outros mundos onde a vibração é menos densa é bem mais fácil a reconexão.

Análises indicam um bom percentual de Almas alinhadas com os projetos destinados a esses mundos e suas civilizações, mas nos planetas em quarentena a questão é muito mais complicada pela grande diversidade de informações e de desvios do padrão original da Chama Trina que é alterado através dos meios de comunicação e dos hologramas do carma pela culpa, medo, ódio e outros miasmas ou formas-pensamento e formas-sentimento constantemente amplificados pela dualidade holográfica nestes mundos mais conturbados ou sob o controle direto do grupo de Filhos Paradisíacos negativados.

Na galáxia de Arconis, que fica do outro lado de Andrômeda do ponto visual relativo à Terra, o índice de dualidade e controle é extremo sendo 80% a 97% diretamente controlados por matrizes de consciência dentro de um elevado gradiente de dualidade e busca do poder pelo poder. Ao ponto em que toda a galáxia foi inserida dentro de uma gigantesca bolha de quarentena sob a supervisão da Supra Confederação e das equipes de Anhotak e Micah, para estabelecer uma linha de trabalho para libertação dos bilhões de bilhões de Almas aprisionadas dentro de um modelo arcaico de evolução. Alguns de vocês acabaram passando pelo ciclo encarnacional dessa enorme galáxia e travando contato com esse modelo de sofrimento e evolução pelo poder e pela prática da alta magia desvirtuada para gerar mais poder sobre o próximo, contrariando assim a primeira diretiva que é: NÃO FAÇAS AO PRÓXIMO O QUE NÃO QUERES PARA TI.

Dessa forma, nessa etapa iniciou-se a dualidade para muitos de vocês e a migração para outras galáxias do conjunto de Naoshi tornou-se ainda mais conturbada e aflitiva, pois o desdobramento de seus fractais de alma dentro da linha paradoxal do multiverso, passou a expressar essa dualidade ainda mais intensa conforme o desdobramento que estava
sendo cocriado pela consciência de cada fractal de alma, a afastando ainda mais da vibração original do Eu Sou através da Chama Trina.

Neste ponto é importante entender que a dualidade não é um aspecto positivo ou negativo, mas antes de mais nada é pura experienciação em fases da evolução e do autodescobrimento que gerou cocriações harmônicas e desarmônicas, causando um efeito de dualidade equivalente a uma bola de neve que foi aumentando e aumentando à medida
que os acontecimentos se desdobraram. Naturalmente em locais onde os grupos rebeldes têm maior controle, os eventos negativos impulsionaram ainda mais o aumento da dualidade, principalmente por inserirem o conceito de escravidão e vampirização pelos grupos de Sarathen.

O Mestre Entrante Yaberin e seus outros 143 colaboradores foram inseridos dentro do jogo encarnacional em pontos-chave dentro do conjunto de Naoshi para adquirir experiência e entendimento da dualidade que estava se desenvolvendo fora dos padrões conhecidos até aquele momento pelos membros da Supra Confederação e até mesmo para os Filhos Paradisíacos inseridos nesse jogo, pois a densidade abaixo de 9D era uma novidade para todos e as condições gravitacionais e energéticas do conjunto de galáxias de Naoshi ainda mais peculiares e desafiadoras. Esses 144 Mestres Entrantes se inseriram no processo encarnacional de forma controlada e diferente das Almas convencionais, pois sua função era estudar, obter informações como espiões e adquirir um vasto campo de informações para que a Supra Confederação pudesse criar projetos e programas de ação para equilibrar o projeto de Naoshi e ao mesmo tempo aprender e disponibilizar ajuda e resgate para as Almas perdidas nesse jogo cósmico de xadrez.

 

LEIA MAIS, ADQUIRINDO O LIVRO YABERIN, O MAGO CÓSMICO ATRAVÉS DA LOJA VIRTUAL