CHINA MONITORA ONDAS CEREBRAIS E EMOÇÕES DE FUNCIONÁRIOS

Amigos e alunos,

Esta notícia é interessante, pois tem relação com programas de inteligência emocional artificial, que deverão ser implementados num futuro próximo no desenvolvimento de robôs, que aos poucos substituirão a mão de obra humana, considerada de baixa qualidade e produtividade.


A China está monitorando as ondas cerebrais e as emoções dos funcionários – e esta tecnologia impulsionou os lucros de uma empresa em US$ 315 milhões

Fonte em Inglês: STILLNESS IN THE STORM (LINK)

(Autoria de Tara Francis Chan)

As ondas cerebrais de funcionários estão sendo monitoradas em fábricas, empresas estatais e militares em toda a China.

  • Empresas chinesas e militares estão monitorando a atividade cerebral e as emoções dos funcionários.
  • A “tecnologia de vigilância emocional” ajuda os empregadores a identificar mudanças de humor para que possam mudar os tempos de intervalo, a tarefa de um funcionário ou até mesmo enviá-lo para casa.
  • A tecnologia supostamente aumenta a produtividade e a rentabilidade, com uma empresa afirmando que seus lucros aumentaram em US$ 315 milhões.
  • A vigilância emocional acrescenta a uma ampla rede de vigilância de reconhecimento facial e censura na Internet em toda a China.

Cheng Jingzhou, o funcionário que supervisiona o programa da empresa, disse que “não há dúvidas sobre o seu efeito”, e os dados cerebrais ajudam a empresa de 40.000 funcionários a alcançar padrões mais elevados.

De acordo com o SCMP, mais de uma dúzia de empresas e militares da China usaram um programa diferente desenvolvido pelo projeto de vigilância cerebral Neuro Cap financiado pelo governo, baseado na Universidade de Ningbo.

“Eles achavam que poderíamos ler a mente deles. Isso causou certo desconforto e resistência no começo”, disse Jin Jia, professor de ciência do cérebro na Universidade de Ningbo. “Depois de um tempo eles se acostumaram com o dispositivo … Eles usaram o dia todo no trabalho”.

Jin também disse que as ondas cerebrais dos funcionários podem oferecer dados suficientes para que os gerentes os mandem para casa. “Quando o sistema emite um aviso, o gerente pede que o funcionário tire um dia de folga ou mude para um posto menos crítico. Alguns trabalhos exigem alta concentração. Não há espaço para erro.”

Outro tipo de sensor, construído pela empresa de tecnologia Deayea, é usado nos motoristas dos trens na linha férrea de alta velocidade entre Pequim e Xangai. O sensor pode até disparar um alarme se o motorista adormecer.

O amplo uso do monitoramento de emoções pode marcar um novo estágio no estado de vigilância da China, que tem se concentrado principalmente no reconhecimento facial e no aumento da censura na Internet.

Não se sabe se todos os funcionários sujeitos à tecnologia estão cientes de que estão sendo monitorados, mas mesmo que soubessem, as leis de privacidade da China dificilmente os ajudariam.

As leis de privacidade negligentes ajudaram a China a avançar com sua pesquisa de inteligência artificial. De acordo com um relatório da CB Insights, a China solicitou cinco vezes mais patentes de IA do que os EUA em 2017.

As ondas cerebrais dos funcionários estão sendo monitoradas em fábricas, empresas estatais e militares em toda a China. A tecnologia funciona colocando sensores sem fio em bonés ou chapéus de funcionários que, combinados com algoritmos de inteligência artificial, detectam incidentes de raiva, ansiedade ou tristeza no ambiente de trabalho. Os empregadores usam essa “tecnologia de vigilância emocional”, modificando os fluxos de trabalho, incluindo a mudança de postos de trabalho e intervalos, para aumentar a produtividade e os lucros. Na State Grid Zhejiang Electric Power, na cidade de Hangzhou, os lucros da empresa aumentaram em US$ 315 milhões desde que a tecnologia foi lançada em 2014, disse um funcionário ao South China Morning Post.

(Portal Shtareer) No mundo ocidental, como este monitoramento não pode ser compulsório, ele é oferecido em forma de produtos atrativos, como um “incentivador” à meditação, que através de um aplicativo de celular conectado a um aparelho posicionado na cabeça no indivíduo tem a capacidade de ler e interpretar as ondas cerebrais, emitindo pulsos e músicas que supostamente induzem a pessoa a um estado meditativo. Mas na verdade, está coletando os dados, impulsos cerebrais e emoções do usuário através do aplicativo, influenciando diretamente a emissão de ondas cerebrais do indivíduo. Não colocaremos o link deste aparelho para não fazermos a divulgação deste produto, mas vale alertá-los para os aspectos negativos deste tipo de recurso, tanto pela emissão de ondas maléficas à saúde, tanto pelo monitoramento que ele e tantos outros exercem sobre a humanidade, com o objetivo de alimentar um computador central, que no futuro irá alimentar uma grande central de inteligência artificial. Este é mais um dos programas do SGS.

LEITURA RECOMENDADA: INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL, A DOMINAÇÃO.