AS ALMAS DE TAU CETI

Amigos e alunos,

Complementando o vídeo ao vivo feito hoje pela manhã (abaixo), compartilhamos com vocês o capítulo do livro Experiência Morontial sobre Tau Ceti e a origem destas almas que hoje fazem parte do grupo de exilados existentes no planeta Terra e têm uma influência nefasta na nossa civilização.

Para os alunos, recomenda-se como sempre, uma rotina de conexão com o ancoramento e limpezas energéticas constantes. E também para todos, alunos ou não, estão disponíveis diversas meditações para limpeza e remoção de miasmas e contratos em ÁUDIOS (link)

Livro A Experiência Morontial – Capítulo As Almas de Tau Ceti

Este é um outro grupo de almas com um gradiente de energia ainda mais denso e complexo do que os que chegaram de Capela, pois o seu histórico é ainda um fator de quarentena e tem sido evitado pelas Federações e grupos estelares, pois ainda não foi resolvido. No contexto histórico, esse setor foi uma colônia de pesquisas do grupo de Formalhaut, Acamar e Toliman com Sirius e outros seres simbiontes, que geraram uma etnia humanoide, originando, inclusive, a etnia humana similar à asiática da Terra. Esses seres devido à presença genética de simbiontes, tinham uma capacidade interessante de absorver a energia eletromagnética de outros seres, de forma similar aos Xopatz, porém diretamente interagindo no plano físico com seus hospedeiros.

A estrela de Tau Ceti fica há cerca de 12 anos luz da Terra, pertence à Constelação de Cetus, similar ao Sol, com 8 planetas em sua órbita e vários astros menores como Plutão e Sedna. Esse sistema devido à sua localização pouco populosa, foi escolhida para pesquisas por vários grupos das Federações, que desenvolviam tarefas periféricas na Via Láctea, passando a desenvolver atividades ilegais dentro dos setores com maior gradiente populacional de estrelas. Assim, esse setor do hemisfério sul, do ponto visual desde a Terra, sofreu muitas ocupações ao longo de sua história
e sempre foi utilizado como quintal de pesquisas. Nele foi desenvolvida uma sociedade altamente tecnológica, que com o tempo descobriu uma capacidade simbiótica de absorção da energia vital de seus hospedeiros e posteriormente vítimas.

Assim, o processo de escravidão e tortura de suas vítimas, passou a ser a forma de nutrição vibracional desses simbiontes. Eles aprisionavam suas vítimas em máquinas de tortura e de extração de enzimas e hormônios e com isso se nutriam, passando a explorar outros mundos para escravizar suas vítimas, fossem elas de qualquer raça. No caso, as raças humanas e mamíferas, por terem um sistema nervoso central mais complexo e sentirem reações endócrinas de medo, pânico e dor, acabaram se enquadrando mais do que os reptilianos e insectoides.

O grupo de Tau Ceti adquiriria independência de seus fundadores e passou a dominar muitos dos grupos que estiveram em seu quadrante, motivo pelo qual foi colocado em quarentena e ficou até o presente momento indisponível sob bloqueio das frotas, pois sua situação não foi resolvida.

Do contexto das guerras e dos conflitos, cerca de 2,3 bilhões de almas foram colocadas em exílio extraplanetário para tentar reverter o quadro de vampirização e de sadismo dessa raça, sendo que essas almas chegaram à Terra na marca de 63.000 anos com um número aproximado de 800.000 representantes. Estes seres acabaram ampliando ainda
mais a questão das guerras, torturas e masoquismo dentro da sociedade humana, criando verdadeiros assassinos, que se divertem com o sofrimento dos outros. Muitos dos caçadores que matam animais e pessoas por prazer, se enquadram dentro da mentalidade operacional dos Taucetianos.

Este grupo, no entanto, atuou em outro setor espacial onde teve profunda influência marcando a degeneração de dois sistemas estelares que estavam sob a influência direta do grupo de Toliman, que são denominados de Gama e Delta Centauro, ou como eram chamadas antigamente de Maw Wei e Koo Kow. Ocorreu uma ocupação por parte de alguns grupos da Constelação de Cetus e isso fez com que os experimentos realizados nesses dois sistemas estelares fossem comprometidos e gerassem severos problemas para o grupo da Federação local de Toliman e seus associados, o que gerou um conflito armado e desse conflito, um exílio de vários milhões de almas que acabaram chegando ao Sistema Solar na linha temporal dos últimos 200 milhões de anos.

Nas imediações das coordenadas de Gama e Delta Centauro, existe uma estrela que ainda é uma extensão do poder de Tau Ceti que se encontra sob quarentena, possuindo portais de alta tecnologia simbiótica espectral, desenvolvidos para atuar entre 4D e 5D e controlar outras formas de vida dentro desse plano dimensional, que foram transferidas para a Terra na faixa dos 47.000 anos e geraram as guerras que levariam à destruição da estrutura Lemuriana e de Mu.
De maneira geral ao se falar dos grupos de Tau Ceti, existe uma proibição não clara, sobre o medo que esses seres geram em outras civilizações, pela sua alta capacidade de camuflagem e de absorção psíquica simbiótica, capazes de acoplar sua energia nos Xopatz e em outras formas de vida, sem serem detectados.

Estes seres acabaram intensificando a relação entre os Nibiruanos e a humanidade, pela escravidão e submissão religiosa, pois eles inseriram isso na psique dos seres de Nibiru que estavam em conflito com a política ditatorial de Enlil, assim os chamados Arcontes acabaram se confrontando com os Arcanjos leais a Enlil e Enki, devido a uma ação psíquica de controle e submissão às almas de Tau Ceti, sem saberem da existência deles. A energia da escravidão foi intensificada em diferentes linhas de tempo e setores da Terra conforme a disposição dos grupos de almas se distribuíam na Terra e nos bolsões umbralinos, passando a abduzir os humanos e outros seres. Normalmente, os canalizadores confundem os Xopatz com os Taucetianos, por terem uma capacidade similar de absorção de energia, mas o Xopatz emprega qualquer tipo de energia psíquica de amor, ódio, raiva como alimento enquanto que os Taucetianos necessitam da energia de pavor, pânico, medo e sofrimento extremo como alimento e satisfação pessoal, mantendo suas vítimas no limite endócrino de produção hormonal.

Percebam que com este grupo de almas inserido no contexto encarnacional da Terra nos últimos 89.000 anos, ocorreu um comprometimento negativo para todo o planeta, o que inclui as outras raças existentes de exploradores e pesquisadores, não apenas no plano físico e astral, mas também nas realidades paralelas, obrigando a restaurar o estado de quarentena e de divisão dimensional com portais e tecnologias que antes da faixa dos 560.000 anos não eram empregadas, por não serem necessárias. Por esse motivo que a era controlada por Torank foi a mais positiva e produtiva da Terra na última fase dos 3,4 milhões de anos, pois o planeta estava sob uma proteção e controle de forças positivas e harmônicas, com baixo índice de polaridade e todas as almas encarnadas tinham entendimento e lembranças do passado e do que estavam a realizar na Terra, junto dos comandantes e dos genomas a serem empregados.

Essa fase acabou logo depois da chegada dos Nibiruanos e foi perdendo o encanto do projeto Terra gradualmente, com a chegada de almas de baixíssimo gradiente de luz.

O processo pelo qual o planeta passou e ainda passa, pode ser comparado com os problemas atuais da migração dos refugiados da Síria e de outros países do Oriente médio, que estão indo para a Europa, criando uma alteração na sociedade e acabando por desestabilizar o padrão de vida que já existia antes deles chegarem. Uma situação delicada de ser controlada ou dominada, sem entrar em novos conflitos militares caso as fronteiras sejam fechadas pelos países ricos, que indiretamente criaram as desigualdades sociais, para poderem enriquecer. O mesmo processo ocorreu no passado histórico das Federações e das Casas de Comércio antes do processo de exílio e transferência de prisioneiros e almas para mundos como a Terra. O conceito de aprisionamento e ao mesmo tempo de exploração desses seres e almas, reside na liberdade dos povos mais avançados, que conseguiram expulsar a parte nociva de sua sociedade para outras localidades mais afastadas, como a história terrestre conta no êxodo de escravos e renegados sociais da Europa em direção à América Latina e para a Austrália.

Esta condição que foi desenvolvida na Terra, não fazia parte das informações e muito menos do entendimento dos Nibiruanos presentes na Terra, pois somente alguns membros do alto Conselho de Nibiru tinham acesso a estas informações, por serem contatados das Federações e praticarem a política dentro da estrutura social de Nibiru e da
Monarquia existente.

LIVRO “A EXPERIÊNCIA MORONTIAL- A EVOLUÇÃO MULTIDIMENSIONAL FÍSICA” DISPONÍVEL PARA VENDA NA LOJA VRITUAL (LINK).

 

Este livro discorre sobre os desdobramentos dos últimos ciclos depois que Cúpula de Cristal estabeleceu sua base junto à 70ª geração de Almas desdobradas dos Filhos Paradisíacos, até os dias atuais do Projeto Terra e sobre diversas experiências com a energia Morontial.