Descoberto exoplaneta que poderia ser Vulcano, o lar de Spock em Star Trek

Por Patrícia Gnipper | 19 de Setembro de 2018 às 10h40CANALTECH

40 Eridani A faz parte de um sistema de três estrelas e, de acordo com uma carta escrita por Roddenberry em 1991, em conjunto com três astrônomos, a estrela foi escolhida para abrigar o planeta de Spock em Jornada nas Estrelas por conta de sua idade: 4 bilhões de anos, aproximadamente a mesma idade do nosso Sol. Sendo assim, baseado na história da vida na Terra, a vida em qualquer planeta ao redor de uma estrela precisa de tempo suficiente para evoluir ao longo das eras — justificando, portanto, a evolução da espécie vulcana à luz daquele astro.

Já na vida real, o exoplaneta HD 26965b é do tipo “super-Terra”, sendo um planeta rochoso com o dobro do tamanho da nossa morada, e está na zona habitável da estrela 40 Eridani A, completando uma órbita a cada 42 dias terrestres. Sendo assim, não é inviável que Vulcano da vida real seja potencialmente habitável. De acordo com Matthew Muterspaugh, astrônomo da Tennessee State University, “A 40 Eridani A é apenas ligeiramente mais fria e menos massiva do que o nosso Sol, tem aproximadamente a mesma idade e um ciclo magnético quase idêntico; portanto, ela pode ser uma estrela hospedeira ideal para uma civilização avançada” como a de Spock, por exemplo.

E a estrela é visível a olho nu daqui da Terra no céu noturno. “Agora, qualquer um pode ver 40 Eridani em uma noite clara e ter orgulho de apontar para a casa de Spock”, brinca o astrônomo. Na série de ficção científica, Vulcano é um planeta árido e quente, coberto por desertos e cadeias montanhosas, com alguns pequenos mares e lagos de água salgada, sendo eles tudo o que sobrou de oceanos antigos que uma vez cobriram parte do planeta. Ali, a gravidade também é maior do que a da Terra, com uma atmosfera menos densa e, visto do espaço, o planeta aparece com coloração avermelhada.

Resta, agora, aprender mais sobre o HD 26965b para descobrirmos se a criação de Roddenberry condiz com a realidade, e, de repente, vermos o planeta sendo nomeado oficialmente como Vulcan (na nomenclatura em inglês). A pesquisa foi publicada no Monthly Notices, da Sociedade Astronômica Internacional.

Fonte: Science Alert