DESCOBERTO SÍTIO COM O MAIOR SACRIFÍCIO INFANTIL DA HISTÓRIA

Amigos, muito tem sido abordado sobre rituais com crianças atualmente. Esta descoberta reforça, infelizmente, uma triste realidade praticada por milhares de anos em nossa história.

Aos mais sensíveis – imagens fortes.

Especialistas acreditam ter encontrado o local do maior ritual de sacrifício infantil já registrado.

Os esqueletos de 227 crianças, todas mortas ao mesmo tempo, foram descobertos em uma vala comum na costa norte do Peru.

Os arqueólogos acreditam que as crianças, nascidas no império Chimú, foram sacrificadas em um ritual para impedir desastres relacionados ao fenômeno El Nino, informa o The Sun.

Os jovens, entre as idades de quatro e 14 anos, foram assassinados brutalmente cerca de 1400 anos atrás. Alguns ainda têm pele e cabelo, e outros foram encontrados usando protetores de orelha de prata.

Os líderes religiosos que executaram os assassinatos faziam parte do império Chimú, uma sociedade poderosa que antecedeu os incas.

Arqueólogos encontraram o local de sacrifício em massa no setor de Pampa La Cruz, em Huanchaco, um município costeiro de Trujillo, ao norte de Lima.

“Este é o maior lugar onde restos de crianças sacrificadas foram encontrados. Não há outro (no mundo) ”, disse o arqueólogo Feren Castillo à AFP.

Acredita-se que os jovens foram sacrificados para apaziguar os deuses e impedir o mau tempo. Em 2017, El Nino provocou inundações e deslizamentos de terra que mataram 162 e destruíram milhares de casas.

A cova infantil de Huanchaco não é a primeira descoberta com crianças sacrificadas em Pampa La Cruz.

Em junho de 2018, restos de 56 crianças foram descobertos. Pampa la Cruz fica a apenas 2 km de Huanchaquito, onde foram descobertas 140 crianças e 200 lhamas oferecidas em um ritual semelhante.

Essa equipe também descobriu os restos de mais 132 jovens em um local próximo.

LEIA – O MISTERIOSO SACRIFÍCIO DE CRIANÇAS DO POVO CHIMU – NATIONAL GEOGRAPHIC

Acredita-se que essas crianças tenham sido mortas ao terem seus corações arrancados em um ritual horrível. Seus restos mortais tinham cortes no esterno, que se acredita terem sido feitos por uma faca cerimonial, informou a National Geographic.

As costelas deslocadas sugerem que quem realizou os sacrifícios tentou arrancar o coração de cada vítima.

Este artigo apareceu originalmente no The Sun.

Fonte: NEWS.COM.AU